sexta-feira, julho 27, 2007

Cartaz de aviso

Antes de falar do cartaz propriamente dito gostaria de vos contar algo que é desconhecido de muita gente. Não raras vez aparecem cães junto ao portão do canil, outras vezes são atirados lá para dentro, outras vezes ainda aparecem acorrentados ou atados junto ao portão ou simplesmente a vaguear junto à entrada. A esmagadora maioria destas situações acontece quando não está nenhum funcionário de serviço, durante a noite, de manhã bem cedo ou então convenientemente colocados à hora de almoço.

Este cartaz que aqui aparece na fotografia está colocado junto à entrada do Centro de Acolhimento Temporário do Cantinho dos Animais e tal foi decidido em reunião de Direcção.

O cartaz tem levantado alguma polémica mas, obviamente, custa muito mais à Associação do que ninguém ter de fazer o que lá está escrito. Mas, ao contrário do que possa parecer, aquele não é o objectivo.

O objectivo principal é evitar o abandono, é a responsabilização do dono para com o seu animal. É levar as pessoas a entrarem em contacto com a Associação para juntos arranjar solução para cada caso.

Já hoje acontecem casos muito particulares de donos em variadíssimas circunstâncias em que o Cantinho dos Animais aceita os seus animais pois é a única solução. Mas essa não pode nem deve ser a única.

A Associação apela à compreensão e, especialmente, à colaboração de todos. O Cantinho dos Animais existe para ajudar. Ajude-nos a ajudar.


9 comentários:

Anónimo disse...

O cartaz é bem elucidativo da falta de respeito pelos animais a quem estatutáriamente deveriam estar obrigados a não os usarem como chantagem perante os seus pseudo donos, até porque quem procede assim não tem qualquer tipo de escrúpulos e portanto apesar dos argumentos justificativos, neste caso o meio utilizado não dignifica uma Direcção, nem justifica os fins.
Gostaria de saber desde quando é que a Associação "gere um CAT" e não um canil que salvaguarde para sempre, se necessário, a vida dos dos Animais. Este comentário tem por finalidade ajudar, sobretudo os ANIMAIS.
Mira da Silva

Anónimo disse...

Sr. Mira da Silva, este não me parece o local próprio para questionar a dignidade de uma Direcção. No entanto, já que "aparece" aqui pela primeira vez, e logo para o fazer, tenho muito gosto.
O local próprio seria eventualmente uma Assembleia-geral de Sócios, Assembleias essas nas quais não me lembro de alguma vez o ter visto por lá.
Na minha opinião, a Direcção do Cantinho dos Animais está, na medida das suas possibilidades, a fazer um excelente trabalho. Posso dizê-lo com conhecimento de causa e sem qualquer tipo de conflito de interesses pois não faço parte dela.
É certo que muita coisa está mal, aí estamos de acordo, mas muita coisa tem também vindo a melhorar. Infelizmente há pessoas que só olham e só "aparecem" para as coisas que estão menos bem, ainda que melhor do que no passado.
Em relação ao cartaz, e a toda e qualquer decisão que se tome, há obviamente o lado bom e o lado mau da questão.
Posso, novamente com conhecimento de causa, dizer-lhe que o número de animais abandonados ao portão diminuiu drasticamente e, em sentido inverso, a ida de pessoas ao CAT e as chamadas telefónicas aumentaram.
Na minha opinião, e pelos vistos não na sua, os animais são bem mais salvaguardados quando entregues pessoalmente ou quando o pedido de ajuda é feito pessoalmente.
Em relação à alteração da denominação de "canil" para "CAT" (Centro de Acolhimento Temporário) é outra medida que me agrada. Segundo sei, o objectivo passa por substituir a ideia do "depósito" de animais a que as pessoas, e pior ainda os animais, se habituaram, por algo mais em consonância com o objectivo da Associação. Arranjar novos donos para os animais e não simplesmente tê-los ali. Ali, são bem alimentados, passeiam-nos, fazem-lhes festas mas, apesar de isso, eu acho que estariam melhor numa casa e com um dono.
Curiosamente ou não, na minha opinião o ideal seria não haver no CAT nenhum animal. Contrariamente ao que defende, em que a Associação deveria sofregamente recolher todo e qualquer animal errante, seria sinal que todos estariam entregues e não haveria de todo qualquer animal abandonado para recolher.
O que o Sr. Mira da Silva já provou pelos seus actos e atitudes e em várias ocasiões menos felizes, esta novamente uma delas permita-me, é que está completamente alheado da realidade.
Existe o ideal e o real, o possível. Infelizmente o Sr. Mira da Silva não vive no mundo real.
Este comentário tem por finalidade esclarecer, debater e confrontar pontos de vista sobre, ao contrário do que possa parecer, a mesma causa. Ajudar os animais.
David Costa

Susana disse...

Tal como o David referiu, e muito bem, este não é o local para se discutir este tipo de assunto. É para isso que servem as Assembleias Gerais e, segundo me lembro, porque estive lá na qualidade de sócia, na última apareceram cerca de 15 pessoas, sendo que a maioria fazia parte da actual Direcção...
Queria só fazer um comentário em relação à denominação CAT, em vez de canil/ gatil. Infelizmente, muitas pessoas ainda não sabem a diferença entre o Cantinho dos Animais e o Canil Municipal. Muitas pessoas pensam que são uma e a mesma coisa! Daí a necessidade de estabelecer uma diferença.
A denominação CAT (Centro de Acolhimento Temporário) parece-me muito mais indicada para este local, cujo objectivo é recolher os animais (dentro das possibilidades da Associação e do local) e reencaminhá-los para adopção. Daí ser temporário, nunca definitivo.
A adopção funciona e recomenda-se!

Anónimo disse...

A reacção de dois elementos que alegam não pertencer à Direcção mas que actuam como tal, é bem elucidativa da forma agressiva e incorrecta que caracteriza esta Direcção.
Quando está em causa a defesa dos ANIMAIS, para mim, todos os locais são válidos. De resto não ofendi pessoalmente a honra de nenhum membro da Direcção.
Ao Sr. David Costa, devo dizer-lhe que durante vários meses fui muitas e muitas vezes ao Canil da Associação, para trabalhar, de resto há obra para se ver, e a si apenas o vi poucas vezes, para tirar fotografias digitais e nunca a lidar com Animais ou a sujar as mãos.
Lamento ter conhecimento da realização de Assembleias Gerais através da vossa reacção, porque não são divulgadas eficientemente aos Associados, e de resto se fizerem um inquérito, rápidamente concluirão que os Sócios desconhecem a sua realização. De resto fui uma vez convocado verbalmente para uma reunião da Direcção e como sabe, porque o Sr. estava lá, eu não faltei à chamada. Devo dizer-lhe que ouvi mais que uma vez a ainda actual Presidente da Direcção de que teriam que realizar duas Assembleias destinadas a alterar os Estatutos e outra eleitoral. A adopção é para além do seu abate, um processo válido, se tiver um mínimo de qualidade. Assisti a muitas, a quem eu não entregaria um animal, mas reconheço que nas circunstâncias actuais, se o CAT (Centro de Acolhimento Temporário) não garantir a permanência dos animais no canil da Associação, terá uma função igual à da CME (Canil Minicipal de Évora), onde os Animais são recolhidos temporáriamente e numa percentagem muito elevada, são abatidos. Em 2005, abateram 600 animais e em 2006, 496. Esta é uma realidade que o Sr. pode confirmar, mas, pelos vistos, sou eu que "não vivo no mundo real.
Algumas coisas melhoraram no canil, isso é indiscutível, mas a situação era tão caótica, que dificilmente alguém de novo não melhoraria a situação.
O ideal, Sr. David Costa, seria haver uma grande lista de espera de pessoas para adoptarem animais, mas a realidade é de que não existem e por vezes são de tão má qualidade, que é preferível que os Animais que estão à salvaguarda da Associação e de acordo com os seus Estatutos, lá continuem. Esta Sr. David Costa é que é a realidade.
Reconheço alguma validade em alguns Membros da actual Direcção, mas é necessário maior disponibilidade, maior espírito de sacríficio e maior dedicação aos Animais.
Para Vossa informação, em devido tempo pedi a minha demissão de sócio, em virtude de ter sido ofendido pelo vosso cobrador e até hoje não recebi qualquer pedido de desculpas. Por isso também não posso participar nas AG e intervir.
Também pela minha idade, infelizmente não sou alternativa, razão pela qual apelo para que ajudem e protejam os ANIMAIS.
Mira da Silva

LisbonGirl disse...

Gosto de animais e estou a tenta a todo tipo de iniciativas que no sentido do bem estar animal e da educação nesse sentido. Não conhecendo nenhum dos intervenientes, sinto-me à vontade para exprimir a minha opinião e dialogar à vontade e com boa vontade. Até porque a ideia da manuntenção e dinamização de um blog é criar um "local" de encontro e partilha de opiniões com um objectivo que é, neste caso, o bem estar animal!

Colocar em causa/Sentir-se colocada em causa esta ou aquela Direcção parece-me supérfulo, pois o que está em causa é uma medida ou uma tomada de posição que pareceu a "alguém" que teve de tomar decisões, em determinado momento, a melhor, ou pelo menos, a única solução! Pode de facto não sê-lo, mas também não coloca uma Direcção em causa.

Todos sabemos que as inúmeras dificuldades que se colocam a quem quer proteger os muitos animais abandonados, por vezes prejudicam o discernimento! É que para além das dificuldades existe a dor!...Não é só desalento ou frustração, há também a mágoa de ano após ano ver cometidos os mesmos erros e atrocidades, apesar dos esforços dos que participam nestas iniciativas!

De facto há deliberações que devem ser mantidas no domínio das Assembleias e de acordo com os estatutos previstos, mas uma organização nunca deve ser autista, nem sentir-se questionada noutros contextos de diálogo, nem perante nenhum interlocutor.

Numa organização de defesa dos animais todo o trabalho conta e é válido!...Trata-se de trabalho voluntário, feito com afecto, e não de uma fogueira de vaidades!...
Portanto, desde as fotos até à simples festa ou mimo tudo é válido! Cada um dá o que pode esse é o sentido de comunidade! Cobrar é feio e, sobretudo, ineficaz. Qualquer idade é válida para colaborar e qualquer colaboração é pertinente.


Partilho da argumentação do Senhor Mira da Silva, de facto o tipo de pessoas que "larga" animais à porta do Canil/Gatil de uma Associação ou de um CAT não tem escrúpulos e portanto vai ignorar a chantagem emocional feita no cartaz, por outro lado se a maior parte das pessoas, como é afirmado, não distingue o Canil/gatil da Associação ou CAT, do Canil/Gatil Municipal vai até ficar perplexo com a informação veiculada!

Para que existem CAT's ? Julgo que para acolher animais abandonados enquanto não têm donos de forma a que não vão parar a Canis/Gatis Municipais onde se pratica o extermínio! Logo a vossa medida implica que a diferença está na forma com se processa o abandono: qual é a diferença entre um animal que é abadonado à porta de um Canil/Gatil de uma Associação ou CAT e um que é abandonado num jardim, estrada ou praia ? Parece-me que nenhuma...será que os animais abandonados desta ou daquela maneira devem ser ainda mais penalizados pela forma como os "donos" os abandonaram ?! Mesmo que vocês nâo cumpram a ameaça, é essa a mensagem que passa...abandonar longe do CAT é melhor do que abandonar perto de ou no CAT...

Peçam a colaboração do Canil/Gatil Municipal de outra maneiras, não dessa... peçam a colaboração das autoridades locais no sentido de uma maior vigilância das áreas imediatas ao vosso CAT insistam no diálogo e nas campanhas de divulgaão, mostrando que há soluções dignas, insistam no diálogo não na ameaça, que ainda por cima reverte contra o Cantinho dos Animais, a quem, mais do que a ninguém, custa cumprir o que está escrito!

Foram só umas linhas com o objectivo de ajudar e não de julgar, compreendo que por vezes o desalento e a exasperação atinjam limites insuportáveis, mas quem gosta de animais sabe que tem de continuar sempre com serenidade.

Desejo a continuação de excelente trabalho que vou continuar a acompanhar, através deste blog! E apelo à união de todos os que querem bem aos animais, no sentido de darem o seu contributo válido, sereno, activo e compassivo!

Os animais merecem!

carla disse...

O Cantinho dos Animais tem como principal objectivo a recolha, tratamento e reencaminhamento de cães e gatos abandonados para novos lares.
Acontece que devido às dificuldades financeiras com que nos debatemos diariamente não temos condições para recolher todos aqueles animais que gostaríamos. Como associação sem fins lucrativos que somos, temos que definir critérios de entrada de animais, e acreditem que não é fácil. Temos de garantir um mínimo de qualidade de vida e bem-estar aos animais que estão à nossa guarda.
Ninguém, mais do que nós, gostaria de poder abrir os portões a todos os animais vadios, errantes, mal-tratados, da região. Mas não temos, nem condições nem capacidade de resposta para todos eles.
Por isso mesmo, foi decidido em reunião de Direcção a colocação deste cartaz à porta do nosso CAT.
E porquê o nome de CAT, perguntam vocês? Exactamente por causa de um dos principais objectivos da associação "recolher, tratar e reencaminhar cães e gatos abandonados, para novos lares".
Num mundo perfeito, o CAT atingiria este objectivo sem qualquer dificuldade, no mundo real isso, nem sempre é possível.
O sr. Mira da Silva, que tantas vezes se deslocou ao nosso CAT, penso eu que terá consciência dessa situação. Temos animais connosco à nossa guarda, à mais de 6 anos, no mínimo. Faço referência a 6 anos, pois é o número de anos em que colaboro com a Associação. Com certeza, existirão lá animais à mais tempo.
E agora pergunto-lhe. Acha que estes animais, ali fechados num canil à mais de 6 anos, embora sendo alimentados, bem tratados e acarinhados, são Felizes?
É esse o seu ideal de Bem-Estar Animal?

Em qualquer associação sem fins lucrativos, seja ela de defesa animal, ou de defesa dos direitos da mulher, da criança ou dos idosos, todo o trabalho voluntário conta e é válido. É feito com muita dedicação, sacrifício e com a disponibilidade de cada um. Desculpem a expressão, não interessa quem apanha a merda e quem tiras as fotos.

Devo dizer que a disponibilidade, espírito de sacrifício e dedicação é algo que não falta a nenhum dos elementos que colabora com a Associação, membros ou não da Direcção. É graças a estes colaboradores, que tal como o sr. Mira da Silva diz, "alegam não pertencer à Direcção mas que actuam como tal", que a Associação, bem ou mal, tem conseguido manter-se.

Desconheço os factos que o levaram a desistir de ser sócio da Associação, por isso, desafio a endereçar uma carta à Direcção e expor a situação. Não está à espera de um pedido de desculpas, pelo "diz que disse". Vamos discutir estes assuntos em sede própria.

Garanto-lhe, que se acharmos que o seus motivos tem razão de ser, eu própria, enquanto secretária da Direcção lhe escrevo o pedido de desculpas.

Carla Cupido

velho alentejano disse...

Minha Jovem(Senhora)Lisboeta

Quero louvar a sua intervenção pelo bom senso, porque é pela positiva e define muito bem qual é a maior prioridade.
Infelizmente as relações humanas são muito complicadas e como habitualmente ninguém quer abdicar, mesmo que não tenha razão.
Em relação ao País em que nasci, resta-me a esperança de que alguns jovens com a sua discernidade o venham a governar com competência num ambiente de liberdade e de justiça social.
O meu respeito
Mira da Silva

Anónimo disse...

Carla
De acordo com os Estatutos da Associação, o Cantinho dos Animais obriga-se a: Artº 3º- O C.A. tem por fim proteger no mais amplo sentido todos os animais abandonados e todos aqueles que embora tenham dono, por situação de emergência necessitem de ajuda desta Associação, etc - Artº 4º- Os animais que aparecerem doentes serão isolados para tratamento até ao último recurso, só se pondo hipótese de abatimento, com o menor sofrimento possível, em casos de doença incurável. - Artº 5º- A propaganda e difusão de humanismo e a resolução de um problema para melhoria da nossa sociedade a favor dos animais é o 1º objectivo do C.A..
O termo CAT e o cartaz que lá se encontra, com as suas ameaças, é igual a CME, canil municipal cuja 1ª prioridade e prática é reduzir a população animal através do abate.
«Num mundo perfeito. o CAT atingiria este objectivo sem qualquer dificuldade, no mundo real isso, nem sempre é possível.» Que utopia...acorde e proteja os animais no mundo real. Vá ver animais com donos que os tratam pior do que no Canil. Reconheço as dificuldades que enfrentam, algumas possíveis de ultrapassar se quizerem, mas foi para resolver e ajudar os animais que foram eleitas.
No que respeita ao trabalho voluntário e solidário, pelo exemplo da minha vida não lhes reconheço competência para me criticarem, nem me podem criticar por usar palavras ordinárias.
Quanto à minha desistência de sócio não consigo entender porque me pede para endereçar uma carta, nem a expressão "diz que disse". Então a correspondência electrónica enviada por mail não vai parar à sua mão? O mail ofensivo que eu recebi e vos reenviei, li-o pessoalmente à vossa Tesoureira no átrio da CME.
Será que a Senhora é secretária desta Direcção? De resto este problema só foi aqui citado por me acusarem de não comparecer às AG.
Interessante seria talvez publicarem no blogue a lista de todos os Dirigentes que integram os Corpos Sociais da Associação, já que não têm sede administrativa e os Associados desconhecem a realização de AG (c/excepção dos Membros da Direcção).
Não era preciso nem conveniente vir em defesa das suas colegas ou p/colegas da Direcção, mas respeito-a por isso.
Mira da Silva

LisbonGirl disse...

Caro Sr. Mira da Silva,

União e solidariedade! Ninguém governa sozinho precisamos de todos, ainda que possamos não estar de acordo com tudo! Devemos colocar as questões em sede própria e continuar a colaborar, ainda que não vejamos logo atendidas as nossas solicitações!
A nossa ajuda aos animais passa também pela compreensão face às dificuldades e problemas que todos os outros que também gostam têm quando os querem ajudar.

Como sabe ajudar animais não é fácil!...Mas os animais merecem!

Um abraço a todos!